terça-feira, 10 de julho de 2012

la chimie...

O lugar, o dia, a festa, o momento, a forma tudo surpreendente pra quem jamais iria imaginar em encontrar e se encantar com alguém. Foi tudo tão rápido e leal, que sabíamos o que sentíamos e nem precisamos falar nada pra acontecer. Só olhar. Será que é o famoso 'amor a primeira vista' ? Assim que te vi senti que tínhamos uma conexão, inexplicável. Nos olhamos e pelo jeito você também deve ter sentido o mesmo. E foi incrível. Além de nos entrosarmos nos completávamos e nos assimilavamos de várias formas, que pareciam mentiras suas pra me conquistar, mas que fui vendo que eram a mais pura e ingênua verdade, me deixando a mercê do destino e do inesperado deslumbrante. As cogitações dos nossos porquês... por quê eu? por quê ela? por quê assim? por quê aqui? por quê assado? Tantas semelhanças que nos conquistaram rápido e nos fizeram querer mais e mais. Uma química flamejante que fazia o mundo parar e a festa silenciar. Impressiona-me como tudo aconteceu, e como consegui encontrar uma pessoa tão encantadora dessa maneira, nesse lugar. Mais uma vez as infagações vão perambulando sobre minha mente. Só espero que você mesmo me chamando sempre pra nor vermos de novo, finalmente consiguemos um dia e mais dezenas de fogos de artifícios, buzinas em transito e tudo mais se silenciem e sejamos apenas dois.

não quer nada.

Passei por cima de algumas coisas e principios só pelo encanto por você, o diferente, mas tão igual a mim. Me satisfez de várias formas, foi tudo muito lindo, mas me enganando. Escondendo-se por baixo de uma armadura tinha um pegador, um sofredor, que após tempos de fidelidade e dedicação se mantem distante de qualquer coisa que venha lhe fisgar, lhe arrebatar. Afasta-se cada vez mais, com medo de ver, de sentir algo parecido com o que viveu, que talvez tenha transtornado, ou não, mas o simples não querer aquilo de novo, ao menos por agora, já me leva pra longe de você. Por mim está tudo bem, só fico desapontada com a pessoa que você me passou ser.. tão engraçado, tão fofo, tão carinhoso, tão bobo... tenho em mim a certezaz de que quero sua amizade, não importa se não fomos pra frente juntos como casal. O que tenho certeza é que o que vivemos foi muito legal, e a amizade que formentamos vai além, ao menos pra mim, do que a gente sentiu, viveu. Esperava que ao inves de ir se afastanto, me ignorando, sentasse e me explicasse, por mais que eu saiba, não ouvi de você. Quero que galguemos nossa amizade, já que o romance não foi pra frente depois de tanto encanto.

reabilitação

Era triste de pensar que tudo havia terminado, mesmo que eu tenha superado de uma maneira um tanto surpreendente. Havia em mim o desgosto por tentar voltar a me satisfazer de outras formas além das coisas que eu tinha em você. Você me deixou viciada e como em uma reabilitação me mantive afastada de várias coisas que me mantinham vivas. O escrever se tornou vazio e sem prospecção substancial, já que nada do que eu escrevia, ou tentava escrever, ardia de tanta proeza e profundidade quanto nos tempos com você. Me vi uma escritora falida, que não conseguia colocar mais marcas da sua identidade em seus textos, ou pelo menos não as exergava.
Por mais que houvessem trocentas outras coisas pra eu escrever que estavam me deixando no minimo preenchida, não vinha a me por a escrever. Demorei pra voltar a escrever, sim, mas não por não ter vivido nada de intenso, pois vivi; não por não ter sobre o quê ou quem escrever, pois tive; mas por simples descaso e falta de compreendimento do meu eu-lírico; por me por em segundo plano sob o adulto que prospera em mim saboreando o amargo trabalho e a rotina incansável, que me aniquilava. Pois bem, agora volto. Volto a manter minha vida nos posts desse blog. A me propor em deflagrar um pouco mais das minhas tormentas, aflições e ao mesmo tempo meus contentamentos, minhas felicidades e envolvimentos.
Só mesmo depois de um tempo pra voltar a ser o que era. Pelo menos julgados aos meus padrões do que eu era. Me libertei, me recriei.
Related Posts with Thumbnails