sábado, 11 de setembro de 2010

amor*Amor

para Platão, existiam dois tipos de amor: o Amor, que  não precisava tocar, explicar, apenas existia na idéia, na mente, no pensamento, à distância, apenas sentir o amor já bastava; e o amor: que era preciso se ver, tocar, sentir, um amor sexual. Desse primeiro, Amor que saiu a expressão 'Amor Platônico'. Mas será que ele estava certo em dividir o amor ? Afinal, sentir o amor é algo nitidamente bom, mas sentir a pessoa que ama é algo tão maravilhoso, tão forte, tão revigorante, tão satisfatório; E enquanto se ama, se quer os dois tipos de amor, de uma forma tão inexplicável, mas queremos! Mas se é para eu escolher, me enquadrar em um desses, prefiro o amor, porque quero a pessoa que amo do meu lado, quero senti-la, cheirá-la, amá-la de perto; e, tê-la em pensamento, sempre terei. Lembrarei sempre do seu toque, do seu sabor, do seu perfume, da sua beleza que meus olhos captaram e não resistiram. Por isso, que amor platônico, que nada! Quero o meu amor do meu lado!   


-
Bruna Carvalho       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails